24 maio 2016

Pedido de ajuda


Amigas e amigos leitores,

Peço encarecidamente que me ajudem a diminuir o mar de dúvidas que está na minha mente.
1.      Foi contado aos militares, que garantiram ao Senador Jucá a segurança e a ordem após o desfecho do impeachment, que esta operação tratava-se de um golpe contra a democracia e a sociedade, inclusive porque o objetivo principal era “delimitar a Lava Jato” e “acabar com a sangria”? Para garantir tanto, só podem ter sido militares de alto galão. Que militares foram estes?
2.      Alguns Ministros do Supremo participaram do conluio, a menos do Ministro Teori, segundo o Senador Jucá. Segundo ele, a mídia, que não é isenta e toma posição sem análises completas em todas as questões relevantes para influenciar a sociedade, pautava também alguns Ministros do Supremo. A sociedade de um país não pode ficar sem a garantia da imparcialidade do seu Supremo, senão todo o Sistema torna-se instável. Então, devemos deixar de confiar no conjunto de Ministros do Supremo? Quais Ministros sentiram-se acuados com os posicionamentos e as ações da mídia? Quais Ministros concordavam, sem se ater aos autos, a priori, com a deposição da Presidente Dilma?
3.      A probabilidade de o Vice-Presidente estar plenamente consciente da trama, em que ele desempenharia papel principal, o de executor da paralização da Lava Jato, é altíssima. Assim, ao ter aceitado participar dela, pode-se dizer, com toda segurança, que ele é golpista. Sua posse não deveria ser anulada?
4.      Como os ladrões buscam não ser descobertos, não se sabe ao certo quantos políticos participaram de atos de corrupção no Congresso. Ouve-se falar que existiam repassadores de propina para políticos, como é o caso do Assessor João Cláudio Genu do Partido Progressista (PP). Assim, não se sabe exatamente quais Deputados e Senadores, que votaram a favor do impeachment, recebiam recursos indevidos, em diversos momentos. O processo de impeachment, por tudo que foi exposto, não estaria contaminado?
5.      Segundo a divulgação pela Folha de São Paulo da conversa entre Jucá e Machado, esta ocorreu em março do presente ano. Quais autoridades estavam de posse da fita gravada por Machado, logo após a gravação? O Titular da Procuradoria Geral da República? Se a fita fosse divulgada, nesta mesma época, o resultado da votação sobre o impeachment da Presidente, certamente, teria sido outro, graças à pressão da opinião pública. Não existe no ato de não divulgar a fita, de pronto, para permitir melhor conscientização da sociedade e dos congressistas, uma manipulação?
Estas são as principais dúvidas.

Maio de 2016
Paulo Metri

1 Comments:

At 8:10 PM, Anonymous Anônimo said...

Como pode a criatura (o político) ter mais poderes do que seu criador (o eleitor). Está na hora do criador ter a autonomia sobre sua criatura.

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home